domingo, julho 25, 2010

Carta aberta ao meu filho de 21 anos‏



Querido Filho,

Espero que seja com candura que recebas este email que te envie tb por SMS.

Sim pq, p/ a tua geração, máquinas de escrever, cartas e emails não existem.
São capazes de reunir multidões por SMS, mas ver o hotmail tá quieto. DAH

"Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades" - Luiz Vaz de Camões

Noite de lua cheia, escorre-me o suor de verão algarvio. Tempo de mudança...

Somos todos culpados do baixo nível de exigência do actual sistema de ensino português. Sou apelidado de pai ausente, como muitos.

Mas o facto é que a vida, meu filho, é-nos imposta e não oferece soluções fáceis:

Não há cursos universitários de empregabilidade imediata; não há nenhuma pílula do dia seguinte para a tua própria formação como Pessoa.

Sermos adultos implica olharmos em redor, encontrarmos soluções, sabermos que engolimos sapos mesmo que esse seja o caminho eleito que nos apraz.

Hemingway lia todas as manhãs, bebendo uma margarita, os obituários para afastar a depressão.

Por outro, saber olhar além do nosso próprio umbigo, permite-nos relacionar-nos com os outros, avós, pais, irmãos, amigos, outros.

Neste momento da tua dúvida, natural e humana que é, deves saber fazer essas duas coisas: Engolir sapos e trabalhares para o teu próprio sucesso; comunicares com aqueles que te amam como eu e que bebem viciadamente de cada notícia que dás, morrem com margaritas todas as manhãs lendo os obituários na falta dessas mensagens...


O sucesso, meu filho, é tão somente saberes seguir o teu próprio caminho, comunicando a cada instante a maravilha de estares vivo e a lutar àqueles que se interessam por ti.

Teu Pai que te ama profundamente e sempre,

Daniel Foster da Silva
 

Sem comentários: