sexta-feira, agosto 17, 2007

Formação versus Acreditação

Um dos problemas com que me deparo regularmente, no ceio das actividades imobiliárias, é a confusão que muitos fazem de que vale a pena suportar umas horas de palestra para obter um crédito... Isto contraposto com a necessidade premente que o mercado exige de aperfeiçoamento do angariador ou do mediador.

Esta geração de profissionais, melhores sem dúvida que a anterior geração a que pertenço, ainda não acordou para a dolorosa verdade de que estão a cada minuto, gastos nestas iniciativas, a serem ultrapassados e vencidos na guerra de marketing internacional.

A formação acreditada deve, a meu ver, como profissional da actividade, ser sempre um meio de enriquecimento de conhecimentos e de práticas; Úteis e aplicáveis às actividades.

Muito se fez, desde a época dos jantares de amigos que eram a associação nos anos oitenta... Mas ainda estamos longe de perceber que se não arrancarmos ferramentas utilizáveis para o nosso dia-a-dia desses eventos, estivemos 5 horas num curso ou seminário que apenas nos servirá para obter um papel e no final os seis créditos para a revalidação.

O barato sai caro, neste caso. Menosprezamos a formação e alegramos o burocratismo...

- "Para Inglês ver."

Sem comentários: