Acerca de mim

A minha foto

First started teaching at the age of 12, football tactics among friends, moving on to coaching volleyball teams, then digging deep into Human nature through Yoga and finally through TM.

Turned into language teaching through TEFL and for the past 22 years have been developing and implementing training systems in the Portuguese real estate industry, blending both together, and helping non-speakers in their plight to learn the professional jargons that make up real estate activities in Portugal.

segunda-feira, janeiro 02, 2006

Aquisição de Conhecimento e valor da escrita no e-Learning

A transmissão da Informação e de certa forma a aquisição do Conhecimento estão tradicionalmente dependentes da forma escrita. De facto, a primeira modalidade de ensino à distância (por correspondência) dependia quase exclusivamente dela. Modernamente os formatos «electrónicos» vieram permitir o enriquecimento dos conteúdos, dulcificando o processo de aprendizagem através do recurso ao Multimédia e facilitando o enriquecimento do significado mediante, designadamente, a possibilidade das hiperligações (vulgo: links).


Na vossa opinião, será que o texto continua um instrumento essencial? Ou será que perdeu importância e o que hoje em dia vale são sobretudo o som e a imagem? Até que ponto podem os segundos substituir o primeiro?


Afinal, como e-Formadores e ou conceptores de conteúdos formativos, quando escrevemos para a Web, em que medida acham que devemos limitar-nos ao texto ou recorrer a outras formas de colocação de informação como imagens, animações ou vídeos?


E o que entendem pela chamada «escrita não linear»? Será verdade que o e-Learning está melhor colocado do que quaisquer outros para a explorar?Aguardo as vossas opiniões.


Cito Hugo D. Valentim

Sem comentários: